Diário de Viagem: Roma - Capítulo 7

07.09


Você já ouviu falar da máxima do 'Dolce far niente'? 


Sabe, pelo menos, que é uma instituição para os italianos?

Pois bem, é algo tão simples, mas sempre tive muita dificuldade pra explicar exatamente o que era e, mais, qual o propósito daquilo.

Lembra que comentei sobre o hábito que se tem por aqui de ficar reunido em torno de praças, fontes ou escadarias 'fazendo nada'? 




Pois bem, esse é o famoso 'Dolce far niente'!

À primeira vista parece algo tão non-sense, como no poema de Drummond em que se vê a vida passar, assim, quase que impunemente, sem ação...

Pois hoje, na última hora, a bem da verdade, descobri porque se faz isso por aqui.

Estava no hotel aguardando a hora de ir embora e, como tinha mais de uma hora ainda, resolvi ir tomar meus últimos gelatos e café em Roma.

Saí com destino definido, já que bem próximo ao hotel tem duas sorveterias que se tornaram minhas preferidas neste tempo que passei aqui.

Tomei uma rua que descobri hoje cedo, cheia de vida apesar de vazia, e rumei à primeira 'gelateria' pensando na falta que isso ia me fazer, este jeito acalorado e ao mesmo tempo afetuoso, o falar alto e a atenção aos (alguns) detalhes.



Por outro lado, a satisfação de ter tido uma experiência inigualável e a sensação de completude, ainda que a falta que expliquei aí em cima estivesse também presente.

Foi aí que a ficha caiu, ou que o Tico falou com o Teco, e eu percebi que o fazer as coisas devagar, o contemplar as coisas não significa necessariamente ver a vida passar e nada fazer.



Muito pelo contrário, esses momentos de contemplação existem para tentar congelar aquele instante e parece que quanto mais tempo se emprega nisto, mais forte será a lembrança.

É algo como quando se vai à praia e fica-se um tempo observando o vai-e-vem das ondas, independentemente do número de vezes em que você já foi à praia.

E é com essa sensação que deixo a Itália, de seguramente ter muitas histórias pra contar, como as que deixei aqui nestes dias.



Arrivederci!

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL , Sudeste , Homem , de 26 a 35 anos

 
Visitante número: